16.10.11

A luz

Devagarosa a luz,
a luz, tão negra, vacila, cai
de bruços derreada:

arrefece o olhar,
rasura, cega; e pára, brusca-
mente / ao rés do nada.

Domingos da Mota

2 comentários:

  1. Que luz...
    E que poema Domingos...
    Bom demais te ler!
    Boa tarde!

    ResponderEliminar
  2. Vanessa Vieira,

    Grato pela visita e pelo comentário.
    E boa Páscoa!

    ResponderEliminar