19.11.11

MUROS

Vivemos a dois
passos, tão distantes, com
muros de silêncio

de permeio.
Os muros altos, farpados,
arrogantes.

Domingos da Mota

4 comentários:

  1. É caso real - sem realeza - com idade.

    Reconheçamos. Recomeçamos.

    Abraço!

    ResponderEliminar
  2. Digamos, remendo velho em pano novo.

    Obrigado.

    ResponderEliminar
  3. Um abraço meu amigo e que tenhamos força e muita poesia para derrubar estes muros...

    Beijos, boa semana

    Carmen

    ResponderEliminar
  4. Carmen Sílvia Presotto,

    Oxalá!
    Obrigado, e boa semana também para si.

    ResponderEliminar