17.6.12

EL ENEMIGO COMÚN / O INIMIGO COMUM

Como Machado, yo también soñaba
de niño con los héroes de la Ilíada,
pero mezcalándolos en coctelera
con los padres de la Revolución.
Marat, Robespierre, Babeuf, Lenin y Trotsky
vivían en mis suenõs de muchacho
junto a Paris, Ayante y Diomedes.
Pese a las discrepancias ideológicas
nunca se peleaban entre ellos,
pues tenán enfrente un enemigo
común. la Realidad.


***


Como Machado, em criança eu também
sonhava com os heróis da Ilíada,
mas misturando-os num sacudidor
com os pais da Revolução.
Marat, Robespierre, Babeuf, Lenine e Trotsky
viviam nos meus sonhos de garoto
junto a Páris, Ajax e Diomedes.
Apesar das discrepâncias ideológicas,
nunca lutavam entre si,
pois tinham à sua frente um inimigo
comum: a Realidade.


Luis Alberto de Cuenca




[SETE POEMAS DE LUIS ALBERTO DE CUENCA TRADUZIDOS POR DAVID TELES PEREIRA], in Telhados de Vidro, N.º 16 . Abril . 2012, Averno

10.6.12

A NOITE

Perpassa, rasga a noite siderante
um ar de desvario cego, vário,
em busca do acaso incendiário,
no dorso da loucura delirante,

em busca do vazio, o chão errante
à beira do abismo solidário,
em busca, eu sei lá, do santuário
aceso do pecado inebriante,

em busca do queimor, dessa fogueira
que sobe, sobe a prumo, nos abeira
da febre galopante da paixão:

perpassa, morde a pele: e até a lua,
fremente como o sol, se perde e estua
nos braços alongados do verão

Domingos da Mota

de Bolsa de Valores e Outros Poemas, Edição Temas Originais, Lda., Coimbra, 2010

5.6.12

MUSEU DE ARTE CONTEMPORÂNEA

Fica na Boa Viagem. Disco voador
ele não é, pois não pousou na pedra
mas se ergue sobre ela; nem alça vôo:
à orla de cidades e florestas
suspende-se no ar feito pergunta
e o que tem dentro mergulha e se banha
no mundo em volta e o mundo em volta o inunda:
é o museu fora de si, de atalaia
à curva do abismo, à altura das musas,
sobre o mar, sobre a pedra sobre o mar,
e sobre o espelho d'água em que se apura
sobre essa pedra um mar a flutuar,
um céu na terra, quase nada, um aire,
a flor de concreto do Niemeyer.

Antonio  Cicero

A Cidade e os Livros, prefácio de José Miguel Wisnik, Quasi Edições, Fevereiro de 2006