11.9.13

A ferro e fogo

Se um Nobel da Paz apela à guerra,
levado pelo quero, posso e mando,
se um Nobel da Paz lança e desferra
a máquina de guerra, onde e quando

o tráfico de armas exaspera,
pois há que renovar os arsenais,
se um Nobel da Paz declara a guerra,
como cabo-de-guerra e muito mais,

esse Nobel da Paz beligerante,
o comandante-em-chefe do mais forte,
é um Nobel da Paz que doravante
aumenta o pânico, o terror e a morte,

lá onde se propaga tanto ódio,
numa guerra cruel, a ferro e fogo.

Domingos da Mota

[Inédito]

4 comentários:

  1. é um Nobel da Paz que doravante
    aumenta o pânico, o terror e a morte,


    Compartimos visión sobre ese Señor de la Guerra y Premio Nobel de la Farsa. También una vez se lo dieron a Kissinger.

    Enhorabuena por tu blog.

    ResponderEliminar
  2. Fackel,

    Grato pela visita e pelo comentário.

    ResponderEliminar
  3. Parabéns pela poesia e pela crítica nela contida. Para onde caminha a humanidade, poeta? Mas há que lutar.

    ResponderEliminar
  4. Gostaria de saber responder à sua pergunta pertinente, mas não sei.
    Agradeço-lhe o amável comentário.

    ResponderEliminar