15.3.14

Revés

Tantos que se foram,
partiram, voaram,
saíram do porto
à pressa e zarparam

sem um até sempre,
um ai que me vou,
um não veemente
a quem devastou,

sem dizer das suas
(e doutros, talvez)
e bastavam duas

palavras ou três
para expor as cruas
razões do revés.

Domingos da Mota

[inédito]

2 comentários:

  1. Soube-me bem ler este sonetilho na medida velha, lavei os olhos nos pentassílabos e na rima, e esta mistura do antigo com o de hoje é muito atraente. Uma bela surpresa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Poeta,

      Uma bela surpresa é a sua visita, e sobretudo a apreciação do sonetilho.
      Obrigado.

      Eliminar