5.3.15

Em carne viva

Amor que seja amor, amor somente;
que arda como o sol em carne viva;
que surda como o silvo da serpente,
prenúncio de paixão mais abrasiva;

amor só por amor, amor que seja
o sal que se alimente da ferida
aberta pelo fogo que deseja
o ar da labareda apetecida;

amor que atinja mesmo o seu contrário,
e perante a ameaça que introduz
o ódio tantas vezes corolário
das trevas como sendo a própria luz:

amor que seja mais que a semente
d'amor só por amor, d'amor somente.

Domingos da Mota

[inédito]

Sem comentários:

Enviar um comentário