26.6.15

Tento na língua

Tu que mentes e desmentes
as mentiras que propalas,
mentes com todos os dentes,
mentes até quando calas
os embustes, os enganos,
as falácias contundentes
que afinaste durante anos
com trapaças evidentes,
exiges tento na língua
aos velhos adversários,
como se estes, à míngua,
não contestassem os vários
remoques quando farfalhas,
petulante homem de palha.

Domingos da Mota

[inédito]

2 comentários: