24.9.15

A colheita

    O pouco que sobrou 
     de quase nada

     Manuel Alberto Valente


Quase nada é pouco,
mas o pouco é tanto
que apesar de pouco
sobrepuja e quanto

o nada que sendo
quase nada, assim
se foi refazendo
(quem me dera a mim.)

Quase nada é sumo,
sendo o pouco a súmula
do rigor, do apuro
do pequeno acúmulo

de que ora sobra
a colheita,
a obra.

Domingos da Mota

[inédito]

Sem comentários:

Enviar um comentário