7.10.15

Consulta

Basta um gesto, um simples gesto,
duas palavras contidas
nos limites do protesto
contra as margens presumidas,
uma consulta mais larga,
um outro modo de ver
o carrego e a sobrecarga
dos mesmos sempre que houver
necessidade premente
de alargar mesmo um furo
no cinto, propor diferente,
olhando para o futuro,
basta alguém mexer um dedo
e há quem morra de medo.

Domingos da Mota

[inédito]

Sem comentários:

Enviar um comentário