9.1.16

Chove a cântaros

Chove a cântaros, chove
e chovendo assim,
nada me demove
de ficar aqui

a olhar, a ver,
a reparar que a chuva
deixa perceber
como fica turva

a luz que anuncia
uma tarde escura,
fechada e sombria,
pela catadura.

Domingos da Mota

[poema para este sábado de Janeiro]

Sem comentários:

Enviar um comentário