20.7.16

Mais a boca

Lá onde os lábios túrgidos se abrem
quando querem matar a sede intensa
que os traz tão acesos quanto ávidos,
tomados pelo fogo que se adensa
e, sôfregos, no meio do brasume,
ondeiam para baixo e para cima
e vão até ao pico, mesmo ao cume
da fonte natural que os anima,
lá onde os lábios túmidos se agitam
e amotinam e fremem e apetecem
e ofegam e levantam e levitam
e retesam as veias que entumecem,
lá onde quanto mais a sede é louca,
mais a boca do corpo, mais a boca.

Domingos da Mota

[inédito]

Sem comentários:

Enviar um comentário