14.7.16

Olha o anjo

Olha o anjo
da guarda. Não o vês?
Repara bem nas asas
depenadas. No seu ar
transparente
(em que não crês),
no modo de seguir
tuas passadas.

O anjo da guarda
está cansado
de arrastar a teu lado
as asas tortas
ou pior ainda,
aperreado quando
tropeças e cais
e mal suportas

o fardo que carregas, 
o que trazes. 
Mas se há outros 
com fardos mais 
pesados, e legiões 
de anjos (são às levas) 
opacos, desasados, 
incapazes. 

Domingos da Mota

[inédito]

Sem comentários:

Enviar um comentário