1.8.16

Mais veloz que um relâmpago

     ao Prof. Mário Moniz Pereira, in memoriam


Agora que também cortaste a meta
das muitas maratonas que ideaste
duma vida fecunda, completa,
eu ponho o pensamento a meia haste:
e retenho a enorme simpatia,
a alegria plena de viver
(com um travo de aguda nostalgia,
sabendo que um dia hei-de morrer.)
Mas dum ser de eleição, a obra fica:
a árvore da vida frutifica
na gente que te há-de celebrar.
E se no céu houver um anjo manco
voará mais veloz que um relâmpago,
bastará que o comeces a treinar.

Domingos da Mota

[inédito]

Sem comentários:

Enviar um comentário