17.8.16

Ora bem

Não faça, roube, copie,
faça de conta que é seu
o que é doutro e denuncie
o outro com o labéu
de ladrão, plagiador,
mesmo que seja Camões,
Pessoa, Herberto, Senghor
ou Vieira, o dos Sermões.
O que importa é dar nas vistas,
ainda que se vá nu, 
e durante as entrevistas
tratar o assunto por tu.
Se depois disso houver quem
se recuse a acreditar
no inédito labor,
não se rale, ora bem:
mesmo que vá bugiar,
não descuide o sim-senhor.

Domingos da Mota

[inédito]

Sem comentários:

Enviar um comentário