11.10.16

Ofício

Quase nada é tudo
o que fiz julgando
que fazia muito
onde quer e quando
cumpria, e agindo
como prescreviam,
ia resistindo
sempre que mentiam;
e mentiam muito
e logravam tanto
com aquele intuito
de ganhar e quanto,
que até o assombro
por vezes fingia
pôr a mão no ombro
de quem se iludia.
Se buscar agora
um pequeno indício
da canseira, afora
os ossos do ofício,
nem uma pegada,
um gesto, um sinal,
e o eco de nada
é tudo, afinal.

Domingos da Mota

[inédito]

Sem comentários:

Enviar um comentário