23.11.16

por entre os pingos da chuva/2

há quem tente passar, sem se molhar,
entre os pingos da chuva, sorrateiro:
se acaso a tentativa resultar,
bem que pode mostrar-se prazenteiro
no meio da borrasca, e gabar-se
de sol na eira e chuva no nabal,
e mesmo, que sei eu, vangloriar-se
debaixo do intenso temporal;
mas se for uma queda de granizo,
as pedras do tamanho dalguns ovos,
se quem tenta passar tiver juízo,
abriga-se, qual seja sob um toldo
até que a graúda saraivada
se transforme nuns pingos, e mais nada.

Domingos da Mota

[inédito]

Sem comentários:

Enviar um comentário