1.4.17

Nem a sombra do Argos

Tarde chegou. E já não veio a tempo
de explicar a razão, que causa o trouxe,
que desejo o moveu, que contratempo
o conduziu ali. Quem estava, foi-se
cansado de esperar pelo Godot,
qualquer Messias que arriscasse vir
ou Dom Sebastião, perdido e só,
que pudesse das brumas emergir.
Tarde chegou. Se quiser contar
o porquê do regresso, do retorno,
nem um cão ouvirá sequer ladrar,
abandonada há muito pelo dono
nem a sombra do Argos voltará
a farejar quem fica ao deus dará.

Domingos da Mota

[inédito]

Sem comentários:

Enviar um comentário