28.5.17

O sal da terra

         a partir da leitura de Mário de Carvalho


Se a coisa for bem mais que mera coisa
e o sítio não for sítio sitiado,
e quiser ver melhor, tocar na coisa
e a coisa permitir o gesto ousado,
e se sob o efeito do contacto,
do toque que a coisa consentiu,
resolver escrever, contar de facto,
revelar o que viu e o que não viu;
se o sítio merecer outra visita
e a coisa mantiver o mesmo apuro,
e apetecer voltar, como quem fita
as estrelas cadentes do futuro,
ainda que pareça uma quimera,
a coisa pode ser o sal da terra.

Domingos da Mota

[inédito]

Sem comentários:

Enviar um comentário