22.5.17

ofício de

o oficio de ouvir, de estar à escuta,
o ofício de ver e de prever
um disparo fortuito, uma disputa
que possa de repente acontecer,
o ofício de ler nas entrelinhas,
ofício de sentir de onde sopra
a brisa com as asas miudinhas
ou a língua de fogo que galopa,
ofício de cheirar desde o perfume
ao esturro que alastra na panela,
ofício de no meio do negrume
encontrar uma porta, uma janela,
um farol que desvie os navegantes
das arribas abruptas e cortantes.

Domingos da Mota

[inédito]

Sem comentários:

Enviar um comentário