1.8.17

As dobras

Nem tudo é simples, nem tudo,
por muito que assim pareça:
do bramido mais agudo
que de súbito esmoreça
ao sibilo macambúzio
sempre que o mar permaneça
subsumido num búzio
onde o marulho aconteça,
quase tudo é complexo
mesmo aquilo que se pensa
de grande simplicidade:
basta ver o reflexo
do eufemismo que adensa
as dobras da pós-verdade.

Domingos da Mota

[inédito]

Sem comentários:

Enviar um comentário