25/09/2017

Diz-que-diz-que

     Desceis, descereis sempre, descereis

     Jorge de Sena


Mais fundo que a fundura dos abismos
desceis, descereis sempre, descereis,
usando e abusando de eufemismos
que fazem das palavras que dizeis
a areia movediça onde se atola
a mentira maior que a perna curta
e que mesmo atascada, desenrola
a trama venenosa e corrupta,
diz-que-diz-que de línguas viperinas,
mais fundas que a fossa das Marianas
ou que as bocas-do-lixo, sibilinas,
que propagam calúnias levianas
e fazem do embuste o santo-e-senha
do ataque viral que mais convenha.

Domingos da Mota

[inédito]

Sem comentários:

Enviar um comentário