07/09/2016

MADRIGAL

Aquela enorme frieza
Não entristeça ninguém...
Ela estende o seu desdém
À sua própria beleza:

Quando, solta do vestido,
Sai da frescura do banho,
O seu cabelo castanho,
Esse cabelo comprido,

(Que frio, que desconsolo!)
Deixa ficar-se pendente,
Em vez de, feito serpente,
Ir enroscar-se-lhe ao colo!

Camilo Pessanha

CLEPSIDRA E OUTROS POEMAS, Círculo de Leitores, Lda., Setembro de 1987 

Sem comentários:

Enviar um comentário