23.10.13

Pois eu gosto de tripas

Pois eu gosto de tripas, oh, se gosto,
em boa companhia ou sozinho,
mas à moda do Porto. Não desgosto
do arroz de sarrabulho que no Minho

acompanha os rojões para prazer

de quem  quer degustar o que mastiga;
o leitão à Bairrada pode ser
uma óptima escolha; há quem diga

que gosta do cozido à portuguesa

ou da vitela assada de Lafões
ou de peixe fresquíssimo na mesa
ou doutras saborosas opções.

Também digo que sim, que nisso alinho:

só falta escolhermos o tal vinho.

Domingos da Mota


[inédito]

a partir da leitura dos sonetos, respectivamente, de Vinicius de Moraes [Não comerei da alface a verde pétala], e de Vasco Graça Moura [pois eu gosto de lombo e feijoada], no mural da Prof. Doutora Maria Alzira Seixo, no Facebook

4 comentários:

  1. Belíssimo poema... só podia ser Domingos da Mota. Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meimei Correa,

      Grato pela visita e pelo generoso comentário.

      Eliminar
  2. Belo, maravilhoso, que poeta tu és, um presente para o leitor, uma dádiva!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Alcione,

      Muita generosidade a sua. Obrigado.

      Eliminar