21/01/2015

PALAVRAS DE PETER HOWSON SOBRE SEU QUADRO 'O AMEIXOAL', QUE EXECUTOU ENQUANTO PINTOR OFICIAL DA GUERRA DA BÓSNIA

Aos primeiros alvores da manhã
o circunscrito silêncio do ameixoal
não é digno de tanta brutalidade -- as crianças
brincam junto à sebe da quinta, os frutos
amadurecem nos ramos, há nuvens
irisadas de sol e vento no céu
de prata e as aves soletram
as casas plácidas, camponesas,
que uma linha azul recorta no horizonte.

Numa árvore, está um soldado
amarrado a um ramo, seminu e castrado,
abandonado à morte, vendo-se muito
bem a ferida aberta e os braços
contorcidos, a indicar o terrível tormento
que a guerra é, aqui, num remoto vale
da Bósnia, ou em outro qualquer lugar,
como primeira e última indignidade.

Velamos o abismo, vemos o corvo
sobrevoar a cabeça do cadáver pungente
e não sabemos o que dizer às crianças
que brincam, tão próximo dos desígnios
da barbárie e tão inocentes que quase apetece,
mais do que admoestá-las pela evidente candura,
meter no quadro os dedos e voltar-lhes a cabeça
para que não possam ver a atrocidade.

Amadeu Baptista

UM POUCO ACIMA DA MISÉRIA, &etc, 2014

Sem comentários:

Enviar um comentário