16.9.16

Ensaio sobre o soneto

Deprecias o soneto.
E eu pergunto, porque não
abrigá-lo sob o tecto
do poema em construção?
Que a rima não se usa,
dizes tu, é coisa antiga.
Mas se a forma da blusa
fica bem à rapariga;
repara naquelas curvas,
na elegância do corte:
por que razão te perturbas
e quase perdes o norte
e te zangas e abespinhas,
como se fossem maninhas
todas as pernas errantes,
sedutoras, cativantes?

Domingos da Mota

[inédito]

Sem comentários:

Enviar um comentário