05/08/2015

[Um ritmo perdido...]

Um ritmo perdido...

Se uma pausa não é fim
E silêncio não é ausência,
Se um ramo partido não mata uma árvore,
Um amor que é perdido, será acabado?

Um ouvido que escuta,
Uma alma que espera...
- Uma onda desfeita
É ou já não era?

Ana Hatherly

Um ritmo perdido, 1958

M. Alberta Menéres e E. M. de Melo e Castro, ANTOLOGIA DA POESIA PORTUGUESA, 1940-1977 VOL.II, Círculo de Poesia Moraes Editores, Lisboa, 1979

Sem comentários:

Enviar um comentário