11/08/2012

FACHADAS

I

Ao longe, no caminho, avisto o Poder.
Tal qual uma cebola,
os malabarismos do seu rosto
a caírem um após outro.


II

Os teatros  esvaziaram-se. É meia-noite.
Letras de anúncios chamejam nas frontarias.
O mistério das cartas sem resposta
escorre ao longo das frias lentejoilas.

Tomas Tranströmer

50 Poemas, Tradução de Alexandre Pastor, Relógio D'Água Editores, Lisboa, julho de 2012

Sem comentários:

Enviar um comentário