08/09/2012

[pois pois existe um país]

pois pois existe um país
onde o olvido onde pesa o olvido
suavemente sobre as coisas sem nome
ali onde a cabeça cala onde a cabeça é muda
e não se sabe e não se sabe nada
o canto das bocas mortas morre
no areal a viagem cumprida
nada há que chorar

a minha solidão enfim conheço-a bem mal
mas tenho tempo é o que eu digo ainda tenho
                                                        [tempo
mas que tempo osso faminto o tempo do cão
do céu que fenece e não cessa a borrasca do
                                                               [céu
do raio que trepa mosqueado e tremente
do mícrones e dos anos trevas

querem que eu vá de A a B e eu não posso
não posso sair estou num país sem rastos
sim sim que rica coisa vocês têm aí que rica
                                                        [coisa
mas o que é não me façam mais perguntas
espiral de pó de instantes o que é o mesmo
a calma o amor o ódio a calma a calma

Samuel Beckett

POEMAS ESCOLHIDOS, Antologia organizada por Magnus Hedlund, tradução Jorge Rosa e Armando da Silva Carvalho, Publicações Dom Quixote, Lisboa, Março de 1970

Sem comentários:

Enviar um comentário