01/02/2015

INTERMÉDIO

Alguém que se ignora
passeia a sua mágoa
lá pela noite fora.

Já sem saber se existe,
entre silêncio e treva,
nem alegre nem triste,
alguém que a própria sorte
enjeita vai absorto
num sonho que é a morte
e é vida -- sendo morto.

Luís Amaro

DIÁRIO ÍNTIMO
______________

DÁDIVA E OUTROS POEMAS, &etc, Lisboa, 2006

Sem comentários:

Enviar um comentário