08/01/2017

Chamaremos umbral

Chamaremos umbral o lugar de onde,
inteiramente nus enfim, partimos.
Sendo partir ir gravitar, conforme
o núcleo poderoso de vazio
acenda, desde longe,
o apelo de destino.
Que tudo canta, ou sofre,
desde essa densidão de corpo antigo
que chega a ciência quando se eleva um nome
do nome que o havia precedido.
E, assim, amarmos, sobe da lei. Comove
o peso de substância e o do olvido
com que a sombra persegue e intensifica a fome
de corpos violentos e sombrios.
Até encostarmos o ouvido à morte.
E ver seu nome de si, enfim, despido.

Fernando Echevarría

SOBRE OS MORTOS, Edições Afrontamento, Porto, 1991

Sem comentários:

Enviar um comentário