15/01/2013

Helder Moura Pereira

NOME DE RUA


Escolhes o ângulo, recto
no momento previsto.
És os passos que vejo
do chafariz das terras,
a rua cruzando a rua.

Sol e pedras
neste destino, a tarde
arrefecendo entre esperanças
e outro banco
deserto a esta hora.

Mais linhas
neste ferro, chicote
de palavras, alimento
do terreno da terra
distante, paixão.

Escolhes uma certeza
vaga, por isso abres
a fonte dos insectos
e limpas dos limos
a cisterna, a vida.

Helder Moura Pereira

CARTA DE RUMOS, &etc, Lisboa, Junho de 1989

Sem comentários:

Enviar um comentário